TCU: fracasso escolar trava desenvolvimento da Paraíba

Quadro de giz com problemas expõe precariedade na maioria da escolas estaduais (Foto: Wagner Lima/G1)

Quadro de giz ilustra a precariedade na maioria das escolas estaduais (Foto: Wagner Lima/G1)

A Paraíba tem jeito e saída para vencer a estagnação econômica, mas para tanto deve investir muito e cada vez mais em educação pública de qualidade. É a recomendação que se infere de recém concluído estudo do Tribunal de Contas da União (TCU), onde a alarmante evasão escolar no ensino médio paraibano é apontada como um dos principais entraves ao desenvolvimento do Estado.

“O elevado índice de abandono escolar por alunos do ensino médio pode influenciar negativamente o desenvolvimento profissional da população economicamente ativa no Estado”, adverte o TCU, que tem uma visão abrangente sobre a situação sócio-econômica da Paraíba e dos demais estados nordestinos a partir de um levantamento de auditoria para alimentar o FiscNordeste, sistema desenvolvido para aperfeiçoar a fiscalização de obras públicas financiadas com verba federal.

A base conceitual e estatística para análise do TCU sobre o panorama regional é o estudo que teve como tema “Desenvolvimento – Recorte Nordeste”. Com os dados que apurou, a equipe técnica do Tribunal começou a relacionar ano passado um panorama dos principais desafios a serem superados em cada estado nordestino para o alcance de um progresso humano e material sustentável.

Segundo relatório do Movimento Todos pela Educação divulgado em junho do ano passado, a taxa de abandono do ensino médio na Paraíba – responsabilidade maior do governo estadual – é de 12,7%. Para se ter uma ideia do que isso representa, o chamado fracasso escolar no Estado é mais de duas vezes maior do que o registrado no vizinho Pernambuco, onde a taxa de evasão no segundo grau baixou de 24% em 2007 para 5,2% em 2014.

Associado a investimentos massivos em educação, a Paraíba deve percorrer diversos caminhos em busca do desenvolvimento. Segundo o TCU, o Estado pode, por exemplo, ampliar seu grau de representatividade na economia nacional mediante concessão de incentivos à produção para atender às indústrias da construção civil, autopeças e tecnologia. Alternativamente ou suplementarmente, ajudaria bastante o crescimento econômico paraibano se o governo adotasse política para incrementar outros setores com alta visibilidade no cenário nacional, como o calçadista, o têxtil e o sucroalcooleiro.

Dependente quase total

O estudo do TCU revelou ainda que o Governo Federal é o responsável por nada menos que 94% do custo das mais importantes obras de infraestrutura realizadas ou em andamento na Paraíba nos últimos três anos. A preço de setembro de 2013, o percentual corresponde a R$ 3,4 bilhões em recursos federais.

O dado mostra o tamanho da dependência do Estado das verbas de Brasília, apesar da propaganda do governo local dar a impressão de que é o contrário. Mas a informação do TCU não tem qualquer objetivo político. Entre outras, levantadas pela auditoria do órgão, servirá para definir quais as áreas prioritárias de sua fiscalização na Paraíba.

A seca e seus problemas

Ainda sobre a Paraíba, o TCU comprovou um forte crescimento da demanda por serviços de abastecimento d´água, esgotamento sanitário e tratamento de resíduos sólidos. Há claramente, pelo que se identificou, uma tendência de urbanização em praticamente todas as microrregiões socioeconômicas do Estado.

O TCU aponta que um dos principais desafios da Paraíba é superar as condições adversas decorrentes d condições climáticas e do fato de ter mais de dois terços de seu território na região do Semiárido.

São 170 dos 223 municípios paraibanos – por onde se distribui mais da metade (55%) da população de todo o Estado – que enfrentam o problema da escassez de água. Uma realidade, conforme os técnicos, que impacta negativamente boa parte dos indicadores estaduais de desenvolvimento.

(Com Assessoria do TCU)

É BOM ESCLARECER
O Blog do Rubão publica anúncios Google, mas não controla esses anúncios nem esses anúncios controlam o Blog do Rubão.

3 Respostas para TCU: fracasso escolar trava desenvolvimento da Paraíba

  1. Marcus Vinicius Abila escreveu:

    Mas antes o TCU , tinha que Investigar as Licitações milionárias na Educação da Paraíba, onde empresas como a BrInk Mobil , vendeu só de Robótica 50 milhões … !!!!!
    Está na hora de fazer um levantamento e ver se há indícios de fraudes e corrupção …!!!!

    • muka utfpr escreveu:

      Olá amigo, quem sabe eu não possa te ajudar quanto as falcatruas da brink mobil, já trabalhei lá, apesar de não ter muita coisa, sei um pouco sobre os podres também, inclusive a das TVs laranja e as doações para campanha do Requião, em nome da brink, do técio, da editora recomeço…
      chama no muka.utfpr@gmail.com

  2. rfm escreveu:

    E ninguem resolve , NADA.