E AGORA? por Madriana Nóbrega

Juliette no BBB21

Juliette Freire (Foto: reprodução de imagem da TV Globo pelo Metrópole)

Foi tão bom ouvir nosso sotaque ecoando em rede nacional!

Melhor ainda reconhecer nosso jeito de falar brilhando em horário nobre.

Nós somos muitos e precisamos nos reconhecer assim: nossas regionalidades formam esse país único.

Cada sotaque traz consigo uma ancestralidade que deve ser respeitada e exaltada. E, nesse ponto, Juliette deu aula.

Que mulher arretada, visse?

Essa é “lá de nói” e fala, “batendo nos peito”, como nossa cultura é rica e deve ser respeitada.

A bichinha é gasguita? É! Mas, pra ser ouvida, foi o jeito!

Também… Foi um perrengue atrás do outro. Nam!..

Ou ela botava pra torar ou era engolida pela arrogância e soberba que teve de enfrentar tão logo pisou os pés naquela casa.

Mas não teve avexame, não! Ela foi comendo pelas beiradas e conquistou o coração de uma ruma de gente.

Mostrou que é na humildade, no companheirismo, na empatia e no perdão que a gente cresce.

Fora disso, o caminho é paredão!

  • Madriana Nóbrega é Professora