A CURA DENTRO DE NÓS, por Bethania Rolim da Nóbrega

Aglomeração na orla de João Pessoa (imagem copiada de Walter Paparazzo/G1)

O mundo parou quando esse vírus chegou. Pensei que tudo isso pudesse dar uma chacoalhada dentro da gente, de verdade mesmo, mudar velhos conceitos que insistem em nos colocar em fôrmas, mudar o modo como vivemos a vida, o nosso olhar diante da natureza e a maneira como nos tratamos.

Pensei que, apesar da dor, poderíamos ver o lado bom disso tudo, só pensei…

Sei que, mesmo antes dessa pandemia entrar no mundo, a humanidade já estava doente e a cura tá dentro da gente.

É isso! Precisamos urgentemente de uma vacina de humanidade para ser aplicada a todos sem exceção. Será que rola?

Eu estava pensando aqui com meus botões e me lembrei do comecinho da pandemia. Tive fé que podia ser diferente, apesar da dor, houve alguns indícios de mudança, sentia união entre as pessoas em torno de um só propósito de conter esse vírus a todo custo, tínhamos até canções nas nossas varandas que falavam de amor, proteção e fé, mas com o passar do tempo as pessoas foram se entregando sem dar o verdadeiro valor à vida.

E as vacinas? Era pra ter vacina aos montes, mas infelizmente não temos. O que temos é muita gente indo embora todo dia, e o mais inadmissível é ver isso enquanto já existem várias vacinas no mundo, vidas que poderiam ser poupadas, um verdadeiro show de horrores. E as pessoas parecem que estão anestesiadas, enquanto uns vivem igual a um zumbi atrás do trio elétrico fazendo festa, outros morrem.

Ao invés de festas, era pra gente estar vivendo luto, se não por nossas famílias, mas pelos outros que já representam mais de 250 mil pessoas.

Não temos vacina, infelizmente. Está vindo a conta-gotas. O que temos pra hoje é usar máscara, álcool gel, distanciamento. É o mínimo que podemos fazer, mas nem isso a maioria das pessoas faz.

Pode ser que você ao ler esse texto ache que estou a dizer o óbvio, mas não é, porque ainda tem muita gente negligenciando essas ações preventivas de saúde.

Já vi idosa dizendo que a máscara sufoca, mas melhor a máscara no rosto do que um tubo pela boca.

Já vi pessoas dizendo que não usam a máscara porque no discurso delas “Deus protege”, e isso é tentar a Deus, sabia? Pra quem não sabe o que é tentar a Deus : é quando existe um perigo, sabemos dele, podemos desviar, mas passamos em frente ao perigo. Isso é tentar a Deus.

Deus protege, mas temos que fazer a nossa parte. Ele não faz o que podemos fazer. Já vi idoso tendo que fazer caminhadas junto com jovens sem máscara nas praças e calçadinhas, correndo perigo de ser contaminado. Será que o poder público não pode mandar guardas municipais para fiscalizar essas pessoas?

Se todos estivessem usando máscara, tudo poderia ser diferente. Creio que poderíamos trabalhar, comprar e vender, viver minimamente esse tempo difícil, tendo consciência da responsabilidade social com o outro que está do nosso lado.

Talvez o governo não precisasse se utilizar das medidas de restrição, mas, como as pessoas aglomeram, essa ação é necessária.

Desculpa o desabafo, sei que tem pessoas que não pensam igual a mim, mas mesmo você que pensa diferente pode refletir um pouco e ver que contra fatos não há argumentos.

Infelizmente, esse vírus só está refletindo a doença do egoísmo que já existia dentro de nós muito antes de tudo isso começar.

Bethania Rolim da Nóbrega é graduada em Publicidade e Direito
@bethaniarolimdanobrega