POR UM 2021 VACINADO, por Robson Nóbrega

Seleções Brasil

Imagem: Adriano Siker/iStock

Além de tudo de ruim, todas as dificuldades que enfrentamos durante o pior ano dos nossos dias, ainda temos que lidar com criminosas fakes news negacionistas em meio a tantas dores e sofrimentos, num país beirando as 200 mil mortes pela praga (invisível) que nos abate todo santo dia.

A esperança contra a doença invisível e o lixo emocional espalhado pelos que usam o nome de Deus em vão é, justamente, o Senhor dos senhores, Cristo Jesus, nosso único e suficiente salvador.

As fakes news negacionistas invertem valores, estimulam a rebeldia idiota e mortal de quem não preza pela vida, sua ou do próximo. Essa gente, feito rebanho, não usa ou usa mal a máscara, não faz distanciamento social e aglomera, aumentando as chances de contaminação.

O pior é ver que o incentivo pra essa tentativa de suicídio coletivo vem de autoridades, que dão mau exemplo e circulam dentro de um “novo normal” alardeado pelos veículos de comunicação quando divulgam com destaque as famigeradas “flexibilizações”. A imprensa normaliza a grande quantidade de infectados e, macabramente, o número de mortes.

Muitos países iniciaram a vacinação de seus povos já há alguns dias, inclusive nações da América do Sul como Argentina e Peru, enquanto o Brasil segue atrasado nesse processo, com promessa de que isso passe a ocorrer somente a partir de fevereiro que virá. E ainda há autoridade que indaga: pra que a pressa? Atitude de quem, certamente, conta com UTI e equipe de especialistas à disposição, enquanto milhões de brasileiros… Logo, não tem pressa alguma.

Há um bom tempo suspeito que algumas dessas excelências genocidas já foram imunizadas. Dinheiro de sobra elas têm para tanto. Senão andariam por todos os lugares com máscaras, mantendo o distanciamento devido. Por enquanto, incentivam a contaminação e espalham o vírus, sem se importarem com o resto da população.

Espero, sinceramente, que 2021 chegue ‘chegando’, carregado de vacinas e… De esperança! Um 2021 vacinado contra o lixo emocional institucionalizado e o genocídio estimulado pela irresponsabilidade oficial. Só com o Deus dos impossíveis na causa.

Amém.

  • • Robson Nóbrega é jornalista