MONGA ONLINE, por Ana Lia Almeida

(Foto: Madriana Nóbrega)

Sem a querida Festa das Neves, até a Monga precisou se adaptar. Providenciou logo um post para o Instagram, devidamente replicado no Facebook, no Whatsapp e no Twitter: “Prepare seu coração: vem aí a Monga online!”.

Caprichou no visual, enfeitando sua cabeça de macaca com um lacinho vermelho e pintando a sua boca de moça com o mais sensual dos batons.

O público não tardou a lotar as salas virtuais para ver com os próprios olhos a medonha transformação da mulher em uma macaca. Skype, Google Meet, Zoom, Jitsi, todas as plataformas ficaram pequenas para o enorme sucesso da nossa Monga online.

Tamanha foi a comoção que no dia 5 de Agosto, aniversário da cidade e auge da bilheteria, a Internet bugou. Um dia inteiro de pane na rede mundial de computadores, com epicentro identificado na cidade de João Pessoa, a aniversariante.

Aqui o impacto foi menor, por causa do feriado, mas ao redor do mundo inúmeros foram os prejuízos: aulas canceladas, reuniões desmarcadas, encontros adiados. Até a Bolsa de Valores foi abalada pela nossa mulher-macaca.

Por causa desse potencial destruidor, os especialistas estão  chamando o fenômeno de “King Kong da Pandemia”. Nossa Monga, claro, se ofendeu. Logo ela, tão querida, tão enfeitada. Calma, Monga, o público é seu amigo!

2 Respostas para MONGA ONLINE, por Ana Lia Almeida

  1. Excelente texto, Ana Lia!
    Fico muito feliz por ver que Monga casou-se e está dando frutos

  2. Excelente! Monga deu frutos e está se tornando internacional!
    Muito bom texto, Ana Lia!