‘MEU COLÉGIO, MEU ORGULHO’

Restaurante e dormitório em construção (Foto de 1922, do livro ‘CAVN, uma história para a posteridade’, publicado em 2012 por Manoel Luiz Silva , ex-aluno e ex-servidor do Colégio)

Denominado inicialmente Patronato Agrícola de Bananeiras, o Colégio Agrícola Vidal de Negreiros (CAVN) completou 100 anos no último domingo, 29 de março. Data e trajetória da tradicional e conceituada Escola foram lembradas em texto publicado pela Professora Terezinha Martins (leia adiante). Ela é diretora do Centro de Ciências Humanas, Sociais e Agrárias (CCHSA), da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), instituição à qual o CAVN foi incorporado há mais de 50 anos.

CENTENÁRIO DO CAVN

O Patronato Agrícola de Bananeiras foi criado pelo Presidente Epitácio Pessoa através do Decreto nº 14.118 de 29 de março de 1920, sendo instalado em área doada pela Prefeitura Municipal de Bananeiras em 13 de julho de 1920. No dia 28 de janeiro de 1921 foi lançada a pedra fundamental e iniciada a sua construção, sob a orientação o Sr. Diógenes Caldas.

A fundação dos Patronatos Agrícolas no Brasil foi instituida em 1918, através do Decreto nº 12.893, de 28 de fevereiro de 1918, no qual o Exmo. Senhor Presidente da República, Dr. Wenceslau Braz P. Gomes, autorizou ao Ministério da Agricultura, Indústria e Comércio a criação dos educandários destinados a ministrar, além da instrução primária e cívica, noções práticas de agricultura, zootecnia e veterinária a menores desvalidos.

Pavilhão de aulas já concluído em 1924 (Foto publicada em ‘CAVN, uma história para a posteridade’, de Manoel Luiz Silva)

Entretanto, o Patronato Agrícola de Bananeiras só foi inaugurado no dia 7 de setembro de 1924, sendo entregue oficialmente ao público a fim de se dar inicio a um trabalho social e ao mesmo tempo educativo com a chegada das primeiras crianças (10 a 15 anos). O estabelecimento era regulamentado pelo Regimento Geral com 18 capítulos, 105 artigos e inúmeros parágrafos.

Durante sua trajetória, o Patronato Agrícola passou por vários processos de mudanças, recebendo as seguintes denominações: Patronato Agrícola “Vidal de Negreiros”, Aprendizado Agrícola da Paraíba, Aprendizado Agrícola “Vidal de Negreiros”, Instituto Agronômico, Escola Agrotécnica “Vidal de Negreiros” e Colégio Agrícola “Vidal de Negreiros”.

Em 1968, o Colégio Agrícola “Vidal de Negreiros” passa integrar o Ministério da Educação, cuja administração ficou a cargo da Universidade Federal da Paraíba (Decreto 62.173 de 25 de janeiro de 1968).

Durante os 100 anos de existência, o CAVN/CCHSA passou por transformações estruturais e acadêmicas visando ao aprimoramento do ensino, pesquisa e extensão, voltado para o desenvolvimento sócio-econômico da região e do País. Resultado do trabalho incansável de dirigentes, docentes, servidores técnico-administrativos e discentes que de uma forma ou de outra contribuíram para fazer do CAVN “Meu Colégio, Meu orgulho” e do CCHSA uma instituição respeitada pela sociedade.

Parabéns ao CAVN pelo centenário de sua criação!

Terezinha D. D. Martins
Diretora do CCHSA

Praça do pavilhão de aulas do CAVN (Foto reproduzida YouTube)

  • Esta publicação foi sugerida e encaminhada com fotografias ilustrativas por Antônio Carlos Ferreira de Melo, zootecnista e Professor aposentado do CAVN

3 Comente ‘MEU COLÉGIO, MEU ORGULHO’

  1. Oséas Almeida Disse:

    Esse Educandário tem um grande significado e muitos fatos relevantes, no que concerne ao ensino e aprendizado agrícola.

  2. Cezario Gomes de Souza Disse:

    Boa tarde !
    Foram 3 anos da minha vida Que vou lembrar para sempre da acolhida, o respeito, o ensinamento de cada prof. 1983 -1985.
    O aprendizado na teoria e na pratica.

  3. Francisco De Assis Rodrigues Disse:

    Os melhores anos de minha vida

Comente

Não publicamos ofensas pessoais. O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *