Sílvio Santos merece cadeia e cassação de suas concessões

(Foto: Reprodução)

Sílvio Santos merece cadeia e cassação de todas as suas concessões de rádio e tevê pelos gravíssimos constrangimentos a que vem submetendo crianças em seu programa de televisão.

Dia 22 de setembro último, ele promoveu um desfile em que meninas de menos de dez anos de idade disputavam votos do público em razão das “pernas mais bonitas”, “do colo mais bonito”.

Ontem (6), rodou nas redes sociais do Brasil e mundo afora um vídeo de outro programa no qual o apresentador pergunta a uma garota de presumíveis oito anos se ela quer “sexo, dinheiro ou poder?”.

O Código Penal e o Estatuto da Criança e do Adolescente fixam penas de detenção de seis meses a dois anos para crimes como os cometidos pelo empresário em sua versão velho tarado, além de pedófilo.

Ele já é alvo de inquéritos abertos pelo Ministério Público Federal em razão do repulsivo desfile. Com a reincidência de há pouco, o MPF poderá pedir o dobro do tempo de encarceramento para Sílvio Santos.

Por muito menos, por maus-tratos a adultos, há dois anos o mesmo MPF tenta cassar as concessões da Rede TV por exibir impunemente lixos como o programa de João Kléber.

O tempo de impunidade e morosidade de tais processos alimenta, contudo, a suspeita de engavetamento, em geral causado pela fama, poder e dinheiro dos acusados. Ou na conta do prestígio deles junto a governos que lhes contemplam com milhões de reais em publicidade.

É o que ocorre, por exemplo, na relação entre Bolsonaro e os “donos” de emissoras outorgadas pelo poder público a esses senhores desde a ditadura. Graças à bajulação e promoção que dedicam aos governantes afinados com comportamentos e métodos tão abjetos como os perpetrados.

Comente Sílvio Santos merece cadeia e cassação de suas concessões

  1. Rodolfo Vasconcellos Disse:

    É a promíscua relação entre o dinheiro e o poder, que termina sempre trazendo o sexo a reboque. Pra tudo isso que temos assistido desde janeiro, cadeia é muito pouco.

Comente

Não publicamos ofensas pessoais. O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *