Literatura de Cordel agora é Patrimônio Cultural do Brasil

A literatura de cordel foi transformada em patrimônio cultural imaterial do Brasil na manhã de quarta-feira (19), no Rio de Janeiro.

A informação, divulgada anteontem por Roberta Jungmann, colunista do jornal Folha de Pernambuco, foi repercutida nacionalmente hoje (21) pelo jornalista e escritor Xico Sá.

“Que notícia maravilhosa. Viva a literatura de cordel”, comemorou Xico em postagem no Twitter, rede social onde tem mais de 1,4 milhão de seguidores por ser um dos profissionais da comunicação mais respeitados do país.

A decisão que transforma a literatura de cordel em patrimônio imaterial de todos os brasileiros foi tomada pelo Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural em reunião no Forte de Copacabana.

Trata-se do órgão colegiado de decisão máxima do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), que aprovou por unanimidade o tombamento pedido por Gonçalo Ferreira da Silva, presidente da ABLC (Academia Brasileira de Literatura de Cordel).

Ainda a respeito do assunto, Roberta Jungmann lembra que em Caruaru, no Agreste pernambucano, foi criada em 2005 a Academia Caruaruense de Literatura de Cordel (ACLC), juntamente com o primeiro museu de cordel do mundo, o Museu do Cordel Olegário Fernandes, reformado em 2013.

Marcelo Soares toma posse amanhã (22) em Itabaiana (Foto: Rádio Zumbi dos Palmares)

Gravurista assume presidência de Academia de Cordel na Paraíba

O gravurista Marcelo Soares assume a presidência de honra da Academia de Cordel do Vale do Paraíba neste sábado (22), às 20h, na Taberna Cultural em Itabaiana.

Seu nome foi escolhido por unanimidade em assembleia da Academia “pela sua importância na arte pictórica paraibana, dentro do imaginário nordestino sempre presente na literatura de cordel”, disse o poeta Sander Lee, autor da indicação de Marcelo para a honraria.

Na ocasião, tomarão posse como membros efetivos os poetas Lino Sapo, de Guarabira, Bento Júnior e Vicente Nascimento, de João Pessoa.

O evento terá presenças de Lau Siqueira, Secretário de Cultura do Estado, Socorro Almeida (Secult Itabaiana) e os poetas da Academia de Cordel, com intervenção poética e musical a cargo de Beto Cajá e o violeiro Gilmar de Oliveira, de Cajazeiras.

Quem é

Marcelo Soares nasceu em Olinda (PE) em 1955. Filho do poeta popular José Soares, esculpe xilogravuras há mais de 40 anos. É autor, dentre outros, do folheto “O encontro da velha debaixo da cama com a perna cabeluda”.

Expandiu suas atividades, incursionando pelo desenho e pintura, criando capas e ilustrações para livros, discos, cartazes de filmes, shows, teatro e outros. É autor de 100 títulos de cordéis, participou de mais de 40 exposições de xilogravura individuais e coletivas e já gravou quatro CDs independentes com músicas de forró.

  • Com informações e textos de Roberta Jungmann (FolhaPE) e da Rádio Zumbi dos Palmares

Comente

Não publicamos ofensas pessoais. O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *