Estado se destaca por redução de homicídios entre 2011 e 2016

Outdoor mostra que estatísticas oficiais não batem com a sensação de insegurança dos paraibanos

Mas nunca se matou tanto na Paraíba

A redução de 20,4% na taxa de homicídios entre 2011 e 2016 coloca a Paraíba em positivo destaque no Atlas da Violência 2018 divulgado na manhã de hoje (5) no Rio de Janeiro pelo Ipea – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP).

Os autores do documento atribuem o feito ao empenho direto do governador Ricardo Coutinho na questão da segurança pública e ao lançamento do programa Paraíba pela Paz, que naquele período fizeram o Estado saltar do 3º para o 18º lugar no ranking das unidades mais violentas da federação.

Mas nunca se matou tanto na Paraíba. De 2011 a 2016, 7.504 pessoas foram assassinadas no Estado, o que dá uma média de 1.823,6 mortes intencionais por ano, 152,9 por mês e 5 por dia. De 2006 a 2010, ou seja, antes de Ricardo subir ao trono, o o mesmo Atlas da Violência computa 5.436 homicídios no Estado, o que dá uma média de 113,25 assassinatos por mês e 3,775 por dia.

É preciso lembrar que essa publicação é alimentada por dados fornecidos pelas próprios estados que fazem parte do FBSP, ou seja, os números de homicídios têm como fontes as secretarias de Segurança Pública de cada unidade da federação.

De qualquer modo, enquanto o Brasil batia seu próprio recorde de homicídios com 62.517 mortes intencionais em 2016, a uma taxa de 30,3 assassinatos para cada 100 mil habitantes (30 vezes a taxa da Europa), a Paraíba também alcançava aquele destacado e inédito percentual na redução do mesmo tipo de crime.

Apesar disso, em 2016 a Paraíba aparece no Atlas da Violência 2018 com uma taxa de 33,9 homicídios por cada grupo de 100 mil habitantes, ou seja, superior à média nacional e mais de 20 pontos percentuais acima da média registrada 10 anos antes.

Em 2006, ano em que o Estado era governado pelo hoje senador Cássio Cunha Lima (PSDB), principal adversário do atual governador, a taxa de homicídios da Paraíba era de 22,8 por cada grupo de 100 mil habitantes.

Cinco anos depois, ao fechar o primeiro ano de Ricardo Coutinho no Governo do Estado, a taxa subiu para 42,6 assassinatos por 100 mil habitantes. E foi caindo ano após ano, até chegar aos atuais 33,9 homicídios/100 mil, ou seja, quase cinco pontos percentuais a menos que os 38,6 com que o atual governador recebeu o poder há sete anos e meio.

Clique aqui para ler, na íntegra, o Atlas da Violência 2018.

Comente Estado se destaca por redução de homicídios entre 2011 e 2016

  1. RADAR Disse:

    Estas estatísticas ditas oficiais não são corretas, são manipuladas e mentirosas, prá enganar analfabetos e incautos.
    Nunca se matou tanto na Paraíba. A impunidade tem na Paraíba a sua morada.

Comente

Não publicamos ofensas pessoais. O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *