‘Desistência’ de Romero não comove Cartaxo

Tucanato paraibano reunido em Brasília para convencer Romero a ‘desistir’ (Foto: Salviano Leite)

O prefeito Luciano Cartaxo, de João Pessoa, mantém firme a sua posição de não mais renunciar ao cargo até o dia 7 de abril próximo para disputar o Governo do Estado como candidato de oposição.

Cartaxo teria reagido com indiferença à notícia de que o prefeito Romero Rodrigues, de Campina Grande, anunciou na noite de ontem (14) que abandona o páreo da sucessão estadual para apoiar eventual candidatura do prefeito da Capital a governador.

Romero comunicou que dá “preferência” à candidatura de Cartaxo, caso o prefeito de João Pessoa “reavalie a sua recente manifestação”, ou seja, a desistência de concorrer ao governo da Paraíba com apoio do PSDB, partido pelo qual o prefeito de Campina lançou pré-candidatura desde o ano passado.

O anúncio da pretensa renúncia de Romero foi divulgado pela imprensa após reunião do prefeito campinense, ontem em Brasília, com o senador Cássio Cunha Lima, os deputados estaduais Tovar Correia Lima e Manoel Ludgério e os federais Rômulo Gouveia e Pedro Cunha Lima.

No último final de semana, Cássio teria se reunido com o próprio Cartaxo, em João Pessoa, para tentar convencê-lo a voltar atrás e retomar o projeto de encabeçar chapa de oposição ao Governo do Estado com apoio dos tucanos. Nesse encontro, o senador teria antecipado que Romero não mais seria obstáculo às pretensões do prefeito pessoense.

O prefeito Luciano Cartaxo anunciou no dia 1º deste mês que não mais deixaria o cargo para concorrer ao governo por uma aliança de partidos de oposição, da qual participariam a legenda ao qual está filiado, o PSD de Rômulo Gouveia, e o PSDB de Cássio.

Desde então, crescem as especulações de bastidores que o prefeito negocia nova composição com o governador Ricardo Coutinho. E novamente, a exemplo de 2014, para ganhar o apoio governista a uma candidatura do irmão Lucélio Cartaxo ao Senado.

2 Comente ‘Desistência’ de Romero não comove Cartaxo

  1. Percival H Souza Nt Disse:

    É preciso, nesses movimentos, entender o que é balão de ensaio, boi de piranha e o que realmente é pra valer. Romero nunca foi candidato de fato. No PSDB há muito mais necessidades e urgências postas, do que um movimento pragmático de candidatura. Assumindo, inclusive, que recuperar o espaço perdido seja uma dessas necessidades. Há, entre outras, a necessidade do palanque presidencial, do espaço Rui Carneiro , de um.novo mandato para Cássio, de não deixar Enivaldo ganhar mais espaço, se equalizar as forças com Rômulo que, em voo solo, se descola de Cássio e acumula forças para o PSD. A única variável mais complexa são os dois anos sem.mandato de Luciano e Romero. Acho que Romero ainda tentará emplacar o Irmão Moacir e Luciano o Irmão Lucélio, podendo inclusive, no limite, os dois saíram para deputado estadual.

  2. Jerrir Cardoso Disse:

    Quem vai lá?.
    Ricardo faz o sucessor, fico pensando por quer Cássio Cunha Lima não segura esse pipino, mas todos sabemos que essas politicagem dos Cunha Lima a Paraíba não cai mais, será que ainda tem paraibano que não lembra como era a Paraíba, a posição que éramos no cenário nacional?
    Não estar como deveria estar realmente, mais já esteve muito pior.
    Só lembrando que não sigo lado político, é apenas opinião.

Comente

Não publicamos ofensas pessoais. O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *