Senadores da Paraíba custaram mais de R$ 2,2 milhões ao erário em 2017

Maranhão, Lira e Cássio no plenário do Senado (Foto: Arquivo/JP)

Essa fortuna representa apenas o que os três receberam de subsídio e verba de gabinete

Os três senadores da Paraíba – Raimundo Lira e José Maranhão, do PMDB, e Cássio Cunha Lima, do PSDB – custaram aos cofres públicos mais de 2 milhões e 200 mil somente com o que receberam do famoso Cotão e de subsídios mensais. Não entra na soma o gasto com pessoal à disposição de cada gabinete ou escritório.

Cotão é o nome popular da famigerada ‘Cota para o Exercício de Atividade Parlamentar’, suportada pelo dinheiro dos eleitores em geral e contribuintes em particular, ou seja, aqueles que pagam seus impostos para sustentar todo o Estado brasileiro, aí incluídos os poderes constituídos, entre eles o Congresso Nacional, do qual faz parte o dispendioso Senado.

Vejamos agora o ‘desempenho financeiro’ de cada senador.

Raimundo Lira

Consumiu da Viúva em 2017, apenas com o Cotão, a quantia de 224 mil e 600 reais. Desse total, R$ 183.600 foram gastos com a divulgação do mandato. O senador teve direito ainda a R$ 59.134,05 para ‘Outros Gastos’, rubrica que inclui combustíveis, materiais diversos e Correios.

Quanto a Pessoal, Lira tem 13 servidores à disposição do seu gabinete em Brasília, sendo que apenas um é funcionário efetivo do Senado. Ele tem mais 13 comissionados em tese residentes na Paraíba, presumivelmente trabalhando no chamado Escritório de Apoio.

Por fim, devemos lembrar também que o subsídio de senador, ou seja, o salário que entra na sua conta todo mês, é de 33 mil 763 reais.

José Maranhão

Graças ao Cotão, o também senador peemedebista gastou 240.978,06 do Tesouro para custear sua atividade parlamentar no ano passado. Do total, sobressai mais uma vez, assim como no caso de Lira, a maior despesa com divulgação do mandato, que no caso de Maranhão chegou a R$ 117 mil.

O contribuinte ainda financiou mais de 79 mil e seiscentos reais de materiais diversos, combustíveis e despesas com os Correios para Maranhão exercer o seu mandato em 2017, afora o subsídio mensal, ou seja, a remuneração de senador, que é de R$ 33.763,00. O que dá quase meio milhão de reais por ano ou, mais precisamente, 405 mil e 156 reais.

Nessa conta, é sempre bom repetir, não entra o pessoal que trabalharia diretamente para o senador. São 9 servidores em Brasília, três dos quais efetivos, do quadro permanente do Senado, e seis comissionados. Aqui na Paraíba, Maranhão mantém um escritório com 19 funcionários. Todos comissionados.

Cássio Cunha Lima

O senador tucano é o ‘mais caro’ da bancada paraibana. Pelo menos o foi em 2017, ano em que gastou R$ 370.390,16 do Cotão. Do total, ao contrário de Lira e Maranhão, a maior despesa é representada por ‘Contratação de serviços de apoio parlamentar’: R$ 158,6 mil. Com divulgação do mandato, Cássio gastou pouco mais de 85 mil reais.

Já em ‘Outros Gastos’, que incluem combustíveis e Correios, Cássio aplicou R$ 59.134,05, empatando com Lira até nos centavos nesse quesito.

Cássio também tem à sua disposição a equipe mais numerosa entre os três senadores paraibanos. São 48 pessoas no total, 12 das quais em Brasília e 36 na Paraíba. Desses 48, apenas um é servidor efetivo do Senado.

Dados abertos

Todos esses números estão disponíveis no portal do Senado Federal, na página de cada senador, mais precisamente na aba dedicada ao Portal da Transparência.

A aba fica no canto direito inferior dos ‘Dados Pessoais’ do senador.

O gasto total com a bancada, calculado pelo blog, é formado pela soma do Cotão aos Outros Gastos e Subsídios.

6 Comente Senadores da Paraíba custaram mais de R$ 2,2 milhões ao erário em 2017

  1. Rubão por falar em senador você que é um cara danado de investigador e respondedor de perguntas. Por que é que os anuncios pagos por algumas prefeituras da paraiba ao jornal a uniao são tão caros.
    ver link abaixo:https://sagres.tce.pb.gov.br/credores_licitacoes.php?opcao=1&nome_cnpj=01518579000141&ano_inicio=2010&ano_fim=2017

  2. Nilton Disse:

    Oi Rubens, você sabe como funciona isso: GOVERNO DO ESTADO DA PARAIBA
    no período de 2007/2010 foram gastos R$ 47.016.579,26(dados do sagres0
    e de 2011 a 2017 foram gastos R$ R$ 242.666.763,31 ( dados do sagres)

    veja no link: https://sagres.tce.pb.gov.br/estado_credores_despesa.php

  3. Nilton Disse:

    desculpe, o nome da empresa credora é NUTRICASH

  4. nihil Disse:

    vc devia disponibilizar um e mail de contato para mandarmos mais informações para você Rubens.

  5. Newton Roberto Mota Disse:

    E fico a pensar:

    1) – Um Lira que encerrou e fechou todos os seus negócios em Campina Grande e na Paraíba, e mudou-se de mala e cuia para Brasília onde reside e domiciliado. Não tem voto, mas é um milionário. Um bom vendedor de conversa ! Nunca foi eleito e nunca teve voto. Foi alçado ao Senado como VICE.

    2) – Com oitenta e cinco anos, o que esperar do Zé Maranhão, o qual, é produtor rural e Rei do Gado no Tocantins. Não se tem notícia de um único negócio do Zé nesta Paraíba velha de guerra.
    Sabe-se apenas que é dono de um partido político.

    Então, quando é que o paraibano vai aprender a ter vergonha e a votar !!?? Em pleno século vinte e um, nos deparamos ainda com uma Paraíba atrasada, subdesenvolvida, precarizada, mas fazendo a alegria do bolso de suas excelências. E haja vendedor de conversa !!!

Comente

Não publicamos ofensas pessoais. O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *