Réveillon faz da orla pessoense um imenso lixão

Lixeira transbordando de lixo na praia: cena comum a toda a orla da cidade

Demora na limpeza agrava situação e mau cheiro

Falta de educação de muitos que foram à orla comemorar a chegada de 2018 juntou-se à falta de uma limpeza imediata por parte da Prefeitura para transformar as praias mais concorridas de João Pessoa em um imenso lixão nas noites e manhãs pós réveillon e feriado do dia 1º.

Lixeira cheia no campo de visão de quem olha para centro de turismo no Cabo Branco

O que se via na manhã desta terça-feira (2) nas avenidas atlânticas mais movimentadas da capital paraibana – Tamandaré (Tambaú) e Cabo Branco, no bairro do mesmo nome – eram sacos de lixo amontoados nas calçadas à espera de caminhões de coleta. Ainda por volta das 11h.

Na faixa de areia das praias, onde os banhista se concentram, o cenário não era diferente nem menos desolador ou menos fétido. Na maioria dos coletores da beira-mar, em número claramente insuficiente para tanto lixo, a situação era a que mostram as fotografias que ilustram e comprovam estas informações.

Lixeira da Emlur quebrada com resto de lixo ao redor

Mas o quadro não foi exclusividade desta terça-feira. Na noite de ontem (1º), a visão de lixo amontado ou espalhado pelo chão da orla foi acompanhada pelo cheiro nauseante do chorume que derramou de caminhões que atuaram no local no horário de maior fluxo de trânsito e presença de consumidores em bares e restaurantes do Cabo Branco.

Lixo estacionado nas calçadas de Tambaú

Um mutirão de limpeza foi iniciado cedo da manhã, garantiram catadores com fardamento de empresa contratada pela Prefeitura para o serviço. Mas, pelo visto, não bastante cedo para permitir a turistas e moradores desfrutar de praias limpas nos horários mais apreciados por frequentadores em geral e banhista em particular.

A sujeira calamitosa que se amontoa na orla pessoense repete-se a cada réveillon, sem que a Prefeitura da Capital ou sua Empresa de Limpeza Urbana (Emlur) sequer reponha ou amplie o número de lixeiras. Muito menos invista em campanha de educação popular através da mídia tradicional e redes sociais. Não investe talvez porque publicidade de interesse público não serve para ‘vender’ imagem de bom gestor do prefeito da vez nem contribua para seu projeto político ou campanha para governador.

Comente Réveillon faz da orla pessoense um imenso lixão

  1. Jair Cesar de Miranda Coelho Disse:

    Meu bom amigo e ilustre Jornalista Rubens Nobrega. Como sempre, vigilante audaz, é bom ler tuas linhas. Lixo, e falta de educação e respeito. Campanhas educativas necessárias sim. Tais quais as invisiveis e inaudiveis campanhas educativas de transito na Paraiba, com recursos da industria de multas. A maior arrecadadora, a SEMOB João Pessoa. Agora, como bem dizes, campanhas politicas disfarçadas de divulgação de governo, aí sim estas aparecem e muito. Receba respeitoso abraço.

Comente

Não publicamos ofensas pessoais. O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *