IMAGINE UM CANDIDATO… Por Flávio Lúcio Vieira

(Foto: Revista Fórum/Stuckert)

Imagine um político submetido a um cerco jurídico-policial que desconhece os mais elementares princípios e valores relativos aos direitos individuais e à equidade jurídica.

Imagine um político condenado sem provas, fato reconhecido e explicitamente registrado na sentença pelo próprio julgador, que o fez baseado unicamente em uma “delação premiada” – o nome popularizado desses acordos entre Ministério Público e criminosos – diz muito desses instrumento, que foi largamente utilizado pela Operação Lava Jato. Aliás, sobre isso, eu recomendo a quem não assistiu que assista ao estarrecedor depoimento do ex-advogado da Odebrecht, Tacla Duran, dado à CPI da JBS na semana passada.

Imagine um político que é submetido, sobretudo nos últimos três anos, a uma permanente, obsessiva e massacrante cobertura, travestida de “jornalística”, das maiores e mais poderosas empresas de comunicação do país.

Imagine que esse candidato é desprezado, para não dizer odiado, pelo grande empresariado nacional e estrangeiro, pelo governo da maior potência militar e – por enquanto –  econômica do planeta.

Agora, imagine que no país desse político haverá eleição presidencial no próximo ano e que ele seja candidato. E que em todas as pesquisas ele apareça como favorito e cresça a cada pesquisa realizada, sem horário na TV, enfim, sem meios que só em período formal de campanha eleitoral oferecem.

Por fim, imagine que a Justiça do país desse candidato, cuja principal característica é a falta de celeridade no julgamento dos processos, sobretudo de recursos, subitamente se torne ágil e, para tornar o candidato inelegível e impedir sua candidatura, julgue em tempo recorde o recurso da condenação, sobre o qual existem inúmeras dúvidas e provoca amplo debate nos meios jurídicos, inclusive no exterior.

Imaginou?

Comente IMAGINE UM CANDIDATO… Por Flávio Lúcio Vieira

  1. Maurilio Disse:

    Da Pena um prof.universitario com este discurso este candidato já deveria esta preso para o Ben deste pais

Comente

Não publicamos ofensas pessoais. O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *