Deputado diz que não há rombo, mas anistia para grandes sonegadores

Luiz Couto na tribuna da Câmara (Foto: Arquivo/Ascom)

O deputado Luiz Couto (PT-PB) pregou ontem (5) uma rebelião na Câmara Federal para impedir a aprovação da Reforma da Previdência de Michel Temer. Segundo o parlamentar, o objetivo da reforma é destruir a previdência pública para aumentar o faturamento da privada.

Couto vê a Reforma da Previdência como uma farsa gerada por um governo ilegítimo para favorecer grandes sonegadores de contribuição previdenciária, que deveriam cerca de R$ 500 bilhões à União e não são cobrados pela atual gestão.

“Se a proposta é boa para o brasileiro, não precisariam de tantas propagandas como eles veiculam, inclusive com pessoas para fazerem o papel do idoso, do trabalhador, do agricultor”, observou o deputado.

Ele disse que os governistas estão obrigando lideranças a fecharem questão para votar favoravelmente à proposta do governo, mas a oposição vai entrar em obstrução a partir de hoje (6).

“Não vamos votar com este Governo golpista e o presidente da Casa, que deveria ser o defensor da Câmara e não representante do Governo, querer fazer uma reforma, dizendo que há déficit, que há rombo”, criticou.

Luiz Couto lembrou que a CPI da Previdência do Senado provou que não há rombo algum na Previdência. “O que há é a anistia que foi dada para várias empresas, para vários organismos que não pagam a contribuição previdenciária”, afirmou, arrematando:

– Nós vamos seguir a orientação do Dom Reginaldo Andrietta, Bispo de Jales, que diz que é preciso fazer uma rebelião, uma rebelião para impedir que esta reforma da Previdência seja aprovada. Ela é uma destruição da Previdência pública brasileira. Eles querem, sim, que as pessoas paguem e não se aposentem, é isso que está sendo colocado na emenda aglutinativa. Essa emenda tem que ir para o lixo porque, na realidade, aqueles que votarem favoravelmente a essa emenda vão responder diante do povo, e o povo vai dizer que não quer esses Parlamentares que são contra a vontade popular”, concluiu o deputado.

 

  • Com Assessoria de Comunicação do Deputado Luiz Couto

Comente

Não publicamos ofensas pessoais. O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *