Fornecedor do Estado é obrigado a abrir conta no Bradesco

(Foto: Ilustração/Jovem Aprendiz Bradesco 2017)

Ao vender por R$ 200,5 milhões ao Bradesco uma folha de pessoal que movimenta mais de R$ 3,6 bilhões por ano somente no Poder Executivo, o atual governo da Paraíba não obrigou apenas o servidor a abrir uma conta naquele banco para receber salário.

Fornecedor também está obrigado a fazer a mesma coisa se quiser receber o produto que entregou ou o serviço que fez para o Estado. Com isso, o volume de recursos que o banco vai ‘administrar’ é muito superior àquele que corresponde à soma dos salários pagos ao funcionalismo estadual.

A obrigatoriedade de abrir conta no Bradesco, estendida os fornecedores do Estado, é um detalhe pouco ou nada divulgado do negócio que o governo fechou com o Bradesco no final de setembro passado. Mas, em atenção a leitores e colaboradores que sugeriram a pauta, o blog procurou se informar.

Perguntou diretamente ao Governo do Estado, via Secretaria de Comunicação (Secom), e ao próprio Bradesco. Aí, mesmo evitando o verbo obrigar ou o substantivo obrigação, ambos confirmaram que realmente, doravante, fornecedor do Estado não tem como receber por seus serviços ou mercadorias se não tiver conta naquele banco.

Mas, ao contrário do servidor estadual que pode pedir a portabilidade de sua conta do Bradesco para continuar recebendo salário pelo banco que lhe servia antes, o empresário que vende para o Estado não tem escapatória. Terá mesmo que abrir conta no Bradesco e arcar com custos adicionais das tarifas que inapelavelmente lhe serão cobradas, após o esgotamento das carências promocionais de boas-vindas.

Assim, por exemplo, se a firma que vende a lagosta ou o vinho caro consumido na Granja Santana quiser receber o pagamento que lhe é devido pelo Estado, vai ter, sim, que abrir uma conta no Bradesco. A mesma coisa vale para o dono do posto que abastece o avião que leva o governador pra onde ele mandar ou carro de polícia que para de perseguir bandido por conta da gasolina pouca.

O que diz o governo

Às 9h51 dessa quinta, o blogueiro perguntou ao Governo do Estado, por i-meio: “informaram-me hoje que fornecedor do Estado é obrigado agora a abrir conta no Bradesco para receber do governo. Procede?”. Às 14h28, através do jornalista Sebastião Lucena, seu secretário executivo de Comunicação, o governo respondeu:

Rubens, a propósito de sua pergunta, aqui vão alguns esclarecimentos:

Como você sabe, o Estado promoveu uma licitação com o objetivo de escolher o banco que ficaria responsável pelo pagamento dos fornecedores e da folha de pessoal do Estado. O contrato do Banco do Brasil havia expirado e, como acontece desde os tempos de Burity, passando por Ronaldo, por Maranhão, por Cássio, por Maranhão de novo e por último por Ricardo,uma nova licitação foi promovida e ganhou o Bradesco.

Com a escolha do Bradesco, todos os servidores e fornecedores do Estado vão receber, os primeiros os salários e os segundos o pagamento pelo que foi fornecido, através do referido banco.

Lembro que os servidores que desejarem continuar no Banco do Brasil estão fazendo a portabilidade,ou seja, abrem a conta salário no Bradesco e lá mesmo manifestam a preferência pelo banco anterior.

O que diz o Bradesco

O blogueiro perguntou ontem (16) ao banco, às 17h02, também por escrito: “Boa tarde. Fui informado que fornecedores do Estado estão sendo obrigados a abrir conta no Bradesco, caso contrário não recebem do governo. Procede?”. Através de sua Assessoria de Imprensa, às 18h17 o Bradesco respondeu:

De acordo com o edital, os fornecedores do Estado da Paraíba receberão através do Bradesco.

O banco preparou condições especiais e exclusivas para os fornecedores paraibanos:

– Isenção de até 12 meses na afiliação do POS Cielo (para empresas com faturamento a partir de R$ 2 mil/mês);

– Antecipação das vendas de cartão com taxa diferenciada;

– 6 meses de isenção para TED/DOC para novos correntistas;

– Tarifa reduzida para emissão de boleto de cobrança;

– Isenção de 6 meses na transmissão da folha de pagamento;

– 100% de isenção em duas opções de cestas de serviços empresarias por 180 dias e 50% de isenção nas demais opções de cestas de serviços para Pessoa Jurídica pelo mesmo período.

Comente Fornecedor do Estado é obrigado a abrir conta no Bradesco

  1. Antonio Carlos Ferreira de Melo Disse:

    É a lei do cão, pra receber tem de pagar, tarifas, taxas e tudo mais, eita governo bom. Em 2018 tem eleições, vota com ele que vem mais.

Comente

Não publicamos ofensas pessoais. O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *