Imagens e números de um dia de protestos

Manifestação no Ponto de Cem Réis, em João Pessoa

Segundo cálculos da Central Única dos Trabalhadores (CUT), pelo menos 35 milhões de pessoas deixaram de trabalhar hoje (28). Já na avaliação do Palácio do Planalto, a adesão à greve foi fraca. Na Paraíba, a chamada greve geral paralisou 100% do transporte de massa pela manhã na Capital e em Campina Grande e conseguiu o fechamento de dois terços dos estabelecimentos comerciais nas principais cidades do Estado.

O protesto de pessoas com deficiência contra a reforma da Previdência

De acordo com informações levantadas pelo blog, manifestações em apoio ao movimento de paralisação foram realizadas em 45 cidades, sendo a maior delas em João Pessoa, reunindo cerca de 3 mil pessoas no Ponto de Cem Réis na tarde desta sexta-feira.

No local, a partir das 14h, reuniram-se trabalhadores rurais e da cidade, somados a centenas de servidores públicos e representantes de segmentos especiais, a exemplo de pessoas com deficiência. Durante a manhã, foram realizados atos públicos isolados, como o de juízes e advogados trabalhistas no Fórum Trabalhista de Tambiá.

Faixas e cartazes contra as reformas da Previdência e trabalhista, alvos maiores dos protestos, também compuseram o cenário das manifestações, a exemplo de barricadas e pneus queimados que pela manhã interromperam avenidas e rodovias federais.

No começo da tarde, 30% dos ônibus de linhas regulares de João Pessoa foram postos em circulação. Pela manhã, por conta dos piquetes, nenhum ônibus conseguiu sair das garagens da empresas que operam na Capital.

Até o fechamento desta matéria, nenhuma informação sobre incidentes com violência entre policiais e manifestantes chegou ao conhecimento do blog. O caráter pacífico do movimento foi exaltado durante todo o dia por lideranças de entidades e dirigentes de centrais sindicais.

Membros da chamada classe política e analistas políticos não acreditam, contudo, que as manifestações de hoje tenham impacto suficiente para reverter votos da base governista no Congresso Nacional, que tende a aprovar as reformas trabalhista e da Previdência.

Repúdio a deputados paraibanos

É o que mostram as fotografias reproduzidas neste registro, a maioria das quais postada em redes sociais. Se alguém quiser reivindicar a autoria de qualquer dessas fotos, favor entrar em contato com o blog através do rubensnobrega@uol.com.br. O crédito será imediatamente acrescentado.

Na Capital, a maior das manifestações

Servidores públicos também presentes ao ato público no Ponto de Cem Réis

Servidores reunidos no Fórum Cível da Capital para debater as reformas

Avenida Pedro II bloqueada por manifestantes, pela manhã

2 Comente Imagens e números de um dia de protestos

  1. Maurilio Batista Disse:

    Só não entendi quer direito foi suprimido, vejo a maniderna (uma mistura de manifestação com baderna) mas os manifestantes, não sabem dizer quer direito foi suprimido a não ser o direito ao trabalho no governo petista (12 milhões de desempregados)

  2. Milton Fernando Disse:

    Parabens Rubao pela isencao da materia posta, como e do seu feitio. Abrss

Comente

Não publicamos ofensas pessoais. O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *