Sem empregos na Prefeitura, vereador estaria encarrilhando o seu próprio trem da alegria

De um dias para cá, vale a advertência dos colunistas políticos de antigamente: “Não chamem para a mesma mesa” o prefeito Luciano Cartaxo e o vereador Marcus Vinicius, presidente da Câmara de João Pessoa. Os dois ‘andam se estranhando’ desde a posse da nova Mesa Diretora do Legislativo municipal.

O estranhamento teria começado quando a Luciano Cartaxo foi apresentada uma ‘fatura’ para o alcaide ‘pagar’ com empregos na Prefeitura da Capital os votos que elegeram Marcus Vinicius presidente da CMJP. O eleito teria levado pessoalmente a ‘conta’ que o prefeito despachou com um sonoro “te vira!”.

Marcus Vinicius, pelo visto, “se virou”. Informações vindas da própria Câmara dizem que está para sair em edição próxima do Semanário Oficial do Município um ato da Presidência criando 50 cargos comissionados. Cargos que deverão ser preenchidos por afilhados dos colegas que apoiaram a ascensão do ex-secretário de Comunicação de Cartaxo ao cargo de presidente do Legislativo pessoense.

Mas “apenas 50” não matariam a sede por empregos de vereadores de situação e oposição que se uniram em torno do projeto presidencial de Marcus Vinicius. Pressionado por um incessante peditório do grupo que o elegeu, o vereador-presidente estaria emitindo sinais de insatisfação na direção do Paço Municipal, na esperança de que o prefeito perceba e saque a caneta nomeadora e saciadora desse tipo de pedinte.

Mas, bem ao estilo Marcus Vinicius, tudo seria feito de forma sutil, discreta, embora reveladora de intenções. O que seria o caso de um convite ao prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, para visitar a Câmara da Capital na sexta-feira (31). Seria mais do que uma gentileza ao correligionário tucano e atual alcaide de Vila Nova da Rainha.

Na leitura de vigilantes dos movimentos do vereador-presidente, a ideia da visita articulada por Marcus Vinicius é prestigiar e dar visibilidade a um potencial adversário de Cartaxo na disputa pelo governo do Estado em 2018. Mas duvidam muito que algo assim venha a incomodar o prefeito da Capital.

Não incomodaria porque, garantem, o alcaide da Filipéia está firmemente decidido a fazer toda a economia possível este ano para ter folga e margem de manobra no próximo, quando precisará de todos os trunfos de que dispõe para tentar ser o próximo inquilino da Granja Santana. E um dos maiores trunfos nessa peleja é justamente a capacidade de dar emprego a quem pode lhe arranjar votos.

2 Comente Sem empregos na Prefeitura, vereador estaria encarrilhando o seu próprio trem da alegria

  1. Milena Disse:

    É este cidadão que diz estar antenado com os problemas da cidade? Deveria era poupar o dinheiro da CMJP e não prover este trem da alegria com todo tipo de pelego ocupando cargos comissionados, que deveriam está nas mãos de gente técnica e capacitada. Não tem jeito! Entra ano e sai ano, e a cidade de João Pessoa é só vergonha com esta trupe de canalhas.

    • Newton Mota Disse:

      Acorda povo !
      Enquanto as casas das medalhas, Assembléia e CMJP, não criarem (e isso só vai acontecer quando o povo se politizar), seu quadro efetivo de servidores através de concurso público, estaremos sempre, diante dessas canalhices, e não faltará dinheiro público !!!!

Comente

Não publicamos ofensas pessoais. O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *