Ex-prefeito apresentou-se à PF após ter sua prisão negada pela Justiça Federal

Carlos Antônio (Foto: Coisas de Cajazeiras)

O médico Carlos Antônio de Oliveira (foto), ex-prefeito de Cajazeiras e ex-secretário de Articulação Municipal da gestão atual do Governo do Estado, apresentou-se nesta segunda-feira (30) à Polícia Federal em Patos. Ele é um dos alvos da quarta fase da Operação Andaime, realizada pelo Ministério Público Federal na Paraíba (MPF-PB) na sexta-feira (27) com apoio da PF e da Controladoria-Geral da União (CGU).

Contra Carlos Antônio havia mandados de condução coercitiva, buscas e sequestro de bens, todos deferidos. Mas o MPF também pediu a prisão temporária do ex-prefeito. Este pedido foi indeferido pela 8ª Vara da Justiça Federal em Sousa (PB). O médico pode ter sido denunciado em delação premiada do empresário Mário Messias Filho, que se encontra preso desde a segunda fase da Operação Andaime.

Na sexta-feira, a PF também cumpriu mandados de condução coercitiva dos ex-prefeitos Léo Abreu e Carlos Rafael Medeiros de Souza, que governaram Cajazeiras entre 2009 e 2012. Segundo informações divulgadas na tarde desta segunda-feira pelo MPF, nas gestões deles e de Carlos Antônio teria se formado um esquema para fraudar licitações que causaram prejuízos de R$ 27 milhões aos cofres públicos.

As investigações revelaram que o esquema funcionava mediante parceria de gestores e profissionais que se valiam de empresas fictícias para contratar obras de pavimentação, principalmente. Os acusados vão responder por desvios de recursos públicos, corrupção ativa e passiva, uso de empresas fantasma e de fachada para ocultação da origem e do destino dos recursos, fraudes fiscais e falsificação de documentos públicos relacionados a pavimentação de ruas no Município de Cajazeiras entre os anos de 2008 a 2016.

Comente

Não publicamos ofensas pessoais. O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *