Dona Nininha: dignidade que reacende a esperança na raça humana

Na hora em que desacreditamos em quase todos, em quase tudo Eis que surge Dona Nininha!

Tive necessidade de compartilhar com alguém. Às 11h desta sexta-feira (27), no Cidade Verde (Mangabeira, João Pessoa), encontrei Dona Nininha, 47 anos, natural de Pombal.

Na Capital há dez anos, sustentou as três filhas com coleta de recicláveis. Em nenhum momento da nossa conversa demonstrou revolta por sua condição. Só orgulho – no bom sentido – por ter criado a família honestamente.

Fiquei comovido, sobretudo porque vivemos num país de corruptos. Muitos que chegam ao poder pela vontade do povo sequer têm uma gota do oceano de dignidade que banha e abençoa a vida de Dona Nininha.

  • Marcelo José (texto e foto)

Comente Dona Nininha: dignidade que reacende a esperança na raça humana

  1. amaurybeiro Disse:

    Exemplo para todos nós.

Comente

Não publicamos ofensas pessoais. O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *