Sindifisco: se governo valorizasse auditor fiscal, receita do Estado seria bem maior

Posto Fiscal na BR-101 Sul (Foto: Secom-PB)

Valorizado profissionalmente como deveria ser, o auditor fiscal poderia arrecadar mais para o Governo da Paraíba investir mais e pagar melhor aos servidores do Estado, ressalta o Sindicato da categoria, o Sindifisco-PB, em mensagem aos filiados.

Através do último boletim Fisco em Dia de 2016, mas valendo para como o primeiro do novo ano, a entidade lembra neste sábado (31) que “ao longo dos anos os auditores fiscais estaduais deram prova inconteste da responsabilidade e do compromisso com a Paraíba”.

O ano que termina seria ilustrativo desse empenho, que propiciou “um excelente resultado na arrecadação das receitas próprias do Estado, desempenhando um papel fundamental diante da crise e dificuldade econômica pela qual passa o País”, ressalta o Fisco em Dia, destacando:

Para se chegar a esses resultados, as dificuldades foram imensas. Contudo, se houvesse investimentos na Secretaria da Receita, implementando uma política de valorização profissional dos auditores, os resultados seriam bem mais expressivos, em curto prazo.

No mesmo texto, o Sindifisco-PB anuncia que os auditores fiscais estão unidos para lutar em 2017 por sua valorização e melhores condições de trabalho, na expectativa de que o Governo do Estado negocie uma recomposição salarial para uma remuneração defasada que penaliza a categoria e os servidores estaduais de modo geral.

Comente Sindifisco: se governo valorizasse auditor fiscal, receita do Estado seria bem maior

  1. Lecivaldo Disse:

    Fica notório o político RC antes de chegar ao Governo do Estado, tinha um discurso de criticar os adversários políticos e inflamar trabalhadores a reclamar sua valofização salarial. Hoje, após se eleger governador em 2010, age completamente diferente do que pregava.
    A desastrosa gestão que não reajusta os salários dos servidores acabou provocando uma quebradeira geral de empresas no comércio e serviços, pois servidor com salário defasado, não tem o que gastar, é receber o pouco que tem para pagar dívidas.

Comente

Não publicamos ofensas pessoais. O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *