Abandonado e degradado, parque municipal de João Pessoa vira lixão

Imagem recente de área poluída do parque (Foto: ccclauroxavier.blogspot.com)

Criado em 2002, 16 anos depois o Parque Municipal Lauro Pires Xavier não sai do papel nem do esquecimento da Prefeitura de João Pessoa. Tanto que para o orçamento de 2017 o que deveria ser um dos lugares mais bucólicos da cidade foi contemplado com apenas R$ 28 mil.

Com esse dinheiro, que mal dá para retirar a montanha de lixo e capinar o matal que crescem no local, a PMJP pretende “implementar a instalação do parque” e promover a regularização fundiária da área de 22 hectares de mata atlântica no Vale do Riacho da Bomba, que divide os bairros de Tambiá, 13 de Maio e Róger.

A denominação do Parque Municipal Natural Lauro Pires Xavier homenageia o saudoso engenheiro agrônomo e Professor de Biologia da UFPB que se notabilizou nacionalmente como um dos mais aguerridos defensores da preservação da Mata Atlântica. Ele também foi um dos fundadores da Apan – Associação Paraibana dos Amigos da Natureza.

A degradação da área é causada por esgotos despejados diretamente no Riacho da Bomba, que se junta a toneladas de lixo lá depositadas por invasores e outros predadores sem qualquer fiscalização ou repressão das autoridades ambientais. Somente o enfrentamento desses problemas exigiria muito mais do que os R$ 28 mil reservados pela PMJP no orçamento do próximo ano para ‘implementar’ o parque.

No mesmo orçamento para 2017, o ‘Parque do Rio Jaguaribe’ foi contemplado com R$ 556 mil (para obras de instalação). O ‘Parque Augusto dos Anjos’, criado no ano de 2006 em Gramame, ficou com R$ 9 mil (para instalação e preservação) e o Zoobotânico Arruda Câmara (Bica), ao qual o Lauro Xavier se integra, com R$ 627,5 mil.

O próximo orçamento municipal ainda destina R$ 26,5 mil para “controle ambiental e implantação da unidade de conservação Parque Municipal Marítimo de Picãozinho” e R$ 7 mil para “disciplinar a gestão e ocupação racional da área do Parque do Cabo Branco”.

O marco do Parque: a única coisa feita até hoje pela Prefeitura (Foto: ccclauroxavier.blogspot.com)

3 Comente Abandonado e degradado, parque municipal de João Pessoa vira lixão

  1. Dalmo Oliveira da Silva Disse:

    Rubão, o mesmo está acontecendo com aquilo que seria o Parque Cuiá! A PMJP não concluiu a implantação da cerca para proteger o resquício da Mata Atlântica. A população do entorno continua jogando lixo e rejeito de construções à borda da reserva de APP!!

  2. RBL Disse:

    O descaso com o PARQUE MUNICIPAL NATURAL “LAURO PIRES XAVIER” continua. E o pior é que a degradação da área só aumenta. Poluição com entulhos, queimadas no interior da mata, esgoto no rio, invasões aceleradas e onde poderia ser um lugar saudável para passear com a família virou um local de uso de drogas e esconderijo para bandidos que cometem crimes na redondeza, tornando a área perigosa.
    São dois grandes problemas que vem sendo causados pela falta de interesse da implantação do parque: DEGRADAÇÃO DO MEIO AMBIENTE e a FALTA DE de SEGURANÇA.
    Sou morador do bairro e estou disposto a lutar para que o parque aconteça, ou pelo menos que ações sejam tomadas imediatamente para diminuir a degradação e preservar de verdade o que ainda resta de mata.
    Gostaria do seu apoio e/ou orientação para iniciarmos o processo de solicitação de orçamento para implantação e proteção do parque.

Comente

Não publicamos ofensas pessoais. O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *