Venda do antigo Paraiban reforçaria caixa do Estado e evitaria mudança da Assembleia

Prédio do antigo Paraiban na Epitácio (Foto: G1)

Prédio do antigo Paraiban na Epitácio (Foto: G1)

Em mensagem ao blogueiro, o cidadão José Mário Espínola sugeriu ontem (23) ao governador Ricardo Coutinho vender prédio do antigo Paraiban, em João Pessoa, para matar dois coelhos: apurar uma grana extra para reforçar os supostamente combalidos cofres estaduais e evitar de uma vez por todas essa “aberração da transferência da Assembleia para Epitácio Pessoa”.

Aparentemente, a sugestão pode parecer tardia para alguns e de difícil execução, porque o prédio foi doado pelo Executivo ao Legislativo. Mas não é. É bem verdade que o atual presidente da Assembleia, Adriano Galdino, abandonou o projeto de mudança da sede da Assembleia porque não daria mais tempo concretizá-lo no seu mandato à frente do Parlamento estadual, que termina em fevereiro de 2017. Mas a aberração, como diz José Mário, ainda pode vir a se materializar. Afinal, a julgar pelo silêncio dele sobre o assunto e ainda sem que se reverta a doação, não se admirem se a ideia for retomada na gestão do deputado Gervásio Maia, próximo presidente da ALPB. Daí

A mensagem de José Mário

Oi, Rubens,

O governador da Paraíba está buscando desesperadamente recursos para os cofres públicos. A minha sugestão tem o dom de garantir uma boa grana extra e ao mesmo tempo encerrar uma polêmica. Seria vender o prédio do antigo Paraiban. Situado em área nobre, renderia um bom dinheiro para o Estado.

Ao mesmo tempo impediria a aberração da transferência da Assembléia para a Av. Epitácio Pessoa, uma verdadeira Idéia de Jerico. Se não for suficiente para sair da crise, o governador tem de reserva a Granja Santana. Faria o maior sucesso entre os especuladores imobiliários.

Para quem já cobiçou o aeroclube

Um abraço.

Zé Mário.

Comente

Não publicamos ofensas pessoais. O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *