Movimento feminista inicia campanha por justiça para Vivianny

justica-pra-vivianny-cartaz-movimento

Um bicho/ É só mais uma, ninguém vai notar/Vai passar na mídia/ E logo vão se calar…

O verso abre o poema-denúncia reproduzido adiante, de autoria não revelada, que condena as mais variadas formas de violência contra a mulher, desde agressão física ou psicológica à supressão de liberdade. Começou a circular neste final de semana nas redes sociais para marcar campanha do Movimento Feminista da Paraíba por #JustiçaParaVivianny.

A mobilização nas redes sociais tem à frente entidades do movimento feminista da Paraíba, empenhadas em manter a sociedade alerta para evitar que a morte da estudante e vendedora Vivianny Crisley caia no esquecimento e seu(s) assassino (s) fique(m) impune(s).

Mais do que denunciar atos de agressão e crimes de morte, o tom da campanha, segundo suas organizadoras, tem também caráter pedagógico. O objetivo é a conscientização das pessoas para os riscos e consequências de preconceitos arraigados em concepções, por exemplo, expressas na frase “mulher não pode sair tarde da noite”. Ou outros de maior gravidade, que põem na vítima a culpa pela violência sofrida.

Vivianny Crisley desapareceu em 20 de outubro passado após sair da casa de shows Beberico’s Prime no Bairro dos Bancários, em João Pessoa, e foi encontrada morta num matagal em Bayeux, no dia 7 de novembro.

Três suspeitos

A Polícia Civil divulgou no dia 11 de novembro a identidade de três suspeitos pela morte de Vivianny. Dois deles estão foragidos: Jobson Barbosa da Silva Júnior, conhecido por Juninho e que já responde a processo por estupro de vulnerável e roubo, e Fagner das Chagas Silva, chamado de Bebé, que recorreu de uma condenação por roubo.

Já o que foi preso em Campina Grande, Allex Aurélio Tomas dos Santos, de 22 anos, disse em depoimento que a jovem foi morta “porque estava gritando para ir para casa”. Uma versão que a polícia não dá crédito.

De acordo com o delegado Reinaldo Nóbrega, responsável pela investigação, Allex Tomás disse que os outros dois suspeitos saíram com Vivianny e depois retornaram para a casa dele sujos de sangue afirmando terem “matado a menina”. Nas imagens divulgadas pelo estabelecimento, Jobson Barbosa e Fágner das Chagas Silva  aparecem saindo do Beberico´s Prime com Allex e Vivianny.

Confirmação

O corpo de Vivianny Crisley foi encontrado carbonizado, dia 7 de novembro, num matagal em Bayeux, município da região metropolitana de João Pessoa. No local, os policiais encontraram um cartão de crédito e uma sandália que a vítima estaria usando na noite em que desapareceu.

A confirmação de que o corpo era mesmo o dela só foi feita uma semana depois, na segunda-feira (14), quando saiu o resultado de um exame de DNA feito pelo Instituto de Polícia Científica (IPC) do Estado.

O IPC comprovou a compatibilidade do material genético de pedaços de pele com o de familiares da jovem de 28 anos. Sob forte comoção, da família e de amigos, seu corpo foi enterrado na terça-feira (15), no cemitério Parque das Acácias, no José Américo, bairro da Zona Sul de João Pessoa.

#JustiçaParaVivianny

Um bicho

É só mais uma,  ninguém vai notar

Vai passar na mídia

E logo vão se calar

Um lixo

Mais um corpo que chora e sangra, no meio dessa façanha

O que fazer agora?

Bora enterrar

 

Miserável

Deixa apodrecer na terra

Os vermes vão comer até a dignidade

Me disseram para ter

 

Puta

Que sai pra rua

Na hora escura

Deu pra macho escroto, a culpa é sua

 

A culpa é sua

A culpa é sua

A culpa é sua

A culpa é sua

 

Não tem direito de justificar

A culpa é sua

Tava com roupa curta

A culpa é sua

Bebeu demais

A culpa é sua

Deu pra festa inteira

A culpa é sua

 

E é nessa agonia

Onde a culpa sempre será sua

Não é hora de mulher tá na rua

Se pelo menos fosse de família…

 

Mas vive no mundo

Veste o que quiser e volta a hora que quer

Diz ser livre

A culpa ainda é sua

 

Enquanto não houver justiça

A culpa sempre será sua

Mulher ingênua

Eles fazem o que quiser

Te mete

Te quebra

Te rasga

Mas a culpa é sua

Quem mandou ficar até tarde da noite?

 

Vermes

Que proíbem de viver

Tirando nossa felicidade

Ainda mais a liberdade

Será que tivemos?

 

Bebem nosso sangue

Sugadores de vida

Nos usam

Abusam

Estupram

Joga em qualquer canto

 

Me fazendo ser um nada

Você também 

Até a mulher do vizinho

Que vai pra missa todo dia

Rezando o terço e dizendo

Ave Maria, rogai por nós

 

Rogai por nós!

Não adianta mais orar

Não adianta apressar o passo

Não adianta mais chorar

 

Onde está Vivianny?

Agora vivendo num paraíso

Está segura desse inferno, desse rebuliço

Dizem que é perigoso ser mulher por essas bandas

 

Vim da costela do homem

Sou o fruto do pecado

Pobre filha de Eva

Desde o começo do mundo eles têm nos rebaixado

E ainda fica sem perceber porque não tem justiça

 

Eles vão te pisar

Te devorar

Hoje pensei que seria eu

Ainda nos restam amanhã e os outros dias

Isso não vai acabar

 

Só não pare de lutar

Vamos em frente, temos muito ainda o que conquistar

Você é sua, eu sou minha

Você tem voz sim

Fica nua, crua, lua

A liberdade é filha tua

Faça justiça

E não deixem dizer que a culpa é tua

#JustiçaParaVivianny

Comente

Não publicamos ofensas pessoais. O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *