Força-Tarefa embarga 87% das obras em Campina Grande

Operário se equilibra sobre ferragens em obra de Campina (Foto: MPT-`PB)

Operário se equilibra sobre ferragens em obra de Campina (Foto: MPT-`PB)

Após fiscalizar obras em João Pessoa no mês passado, Força-Tarefa do Ministério Público do Trabalho na Paraíba (MPT-PB) e do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) chegou a Campina Grande para investigar denúncias sobre problemas graves em construções. Operação detectou irregularidades, algumas das quais com risco de morte para trabalhadores.

Elevadores irregulares, quebrados e sem segurança, ausência de proteção contra quedas em altura, improviso na instalação de proteções coletivas, trabalhadores realizando obras em altura sem treinamento algum e sem fazer exames específicos prévios. Estas foram algumas irregularidades encontradas na operação realizada em Campina Grande.

Como aconteceu na Capital, a ação em Campina confirma um quadro grave no setor da construção civil: 87% das obras fiscalizadas pelo MPT-PB e pelo MTE foram embargadas total ou parcialmente por apresentarem risco iminente de acidentes e mortes de trabalhadores.

A operação começou na última terça-feira (27) e foi concluída na tarde de ontem (29). Em três dias, foram fiscalizadas 15 obras de médio e grande porte, em Campina Grande. Dessas, 13 (87%) sofreram embargo total ou parcial.

“Operações como esta são muito relevantes. Demonstra a integração dos órgãos, faz com que os trabalhadores sintam-se mais protegidos e faz os empregadores perceberem a necessidade de cumprir as normas de segurança e saúde do trabalhador”, afirmou a procuradora do Trabalho Marcela Asfora, coordenadora da Força-Tarefa.

(da Assessoria de Comunicação do MPT-PB)

Comente

Não publicamos ofensas pessoais. O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *