MP começa a apurar Caso Mamanguape e fixa prazo para promotora se defender

A Corregedoria-Geral do Ministério Público da Paraíba (MPPB) abriu uma Reclamação Disciplinar (RD) para apurar o envolvimento da promotora de Justiça Ismânia Pessoa, de Campina Grande, em denunciada tentativa de aliciamento de candidatos à Câmara Municipal de Mamanguape, onde a mãe da denunciada – Eunice Pessoa – disputa a Prefeitura pelo PSB. A denúncia baseia-se em áudio divulgado ontem (27) que traz a gravação da suposta negociação para compra de vereadores.

A informação sobre o procedimento aberto pela Corregedoria é da Assessoria de Comunicação do do MPPB, assinalando que “o caso de Mamanguape está sendo tratado como assunto funcional”. A denúncia chegou à instituição por meio da imprensa e da Promotoria Eleitoral do município, acrescenta a Ascom, referindo-se à acusação de que a promotora ofereceu R$ 5 mil e pelo menos três empregos a cada candidato a vereador que aderisse à mãe dela na reta final de campanha.

Ao abrir a RD para apurar os fatos, o procurador de Justiça Luciano de Almeida Maracajá, Corregedor-Geral do MPPB, deu prazo de 48 horas para a promotora Ismânia Pessoa se pronunciar. O prazo deve se encerrar no final da tarde de amanhã, quinta-feira (29). “Caso sejam comprovadas as denúncias, caberá punição à promotora, inclusive no campo eleitoral”, finaliza a Assessoria do Ministério Público Estadual.

O “caso de Mamanguape” chegou ao conhecimento do blog na segunda-feira (26) à tarde, através de um áudio e informações complementares enviados por uma pessoa que presumivelmente faz parte de coligação adversária da candidata pessebista. Segundo a fonte que procurou o blogueiro, além da promotora de Justiça, participaram da negociação – supostamente realizada na quarta-feira (21) – o marido dela e outros dirigentes da campanha pessebista.

 

 

Comente

Não publicamos ofensas pessoais. O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *