A pequenez de um gesto que deslustra a obra que a cidade aplaude

Rubens Nóbrega

Suetoni Souto Maior avaliou em seu blog que o prefeito Luciano Cartaxo, de João Pessoa, “subiu no muro” quando excluiu os nomes da presidente Dilma Rousseff e do presidente interino Michel Temer da placa de reinauguração do Parque Solon de Lucena. Mas, para além da ‘tucanice’ aventada pelo competente jornalista, o gesto é a mais perfeita tradução da mesquinhez política que o alcaide deve enxergar nas críticas à ‘reforma da Lagoa’, obra entregue domingo (12) a uma população que seguramente aplaude e a reconhece como importante para a cidade.

A exclusão cometida deve ser vista também como expressão de reprovável deslealdade intelectual, porque omite um dado absolutamente inafastável da história dessa obra: o Governo Federal é o grande patrocinador da chamada revitalização do parque da Lagoa. Cerca de 92% ou mais dos recursos lá empregados saíram dos cofres da União. Foram liberados justamente pela presidente que o prefeito hoje ignora e com ela rompeu tão logo sua então aliada e correligionária caiu em desgraça perante a opinião pública por conta da crise política que abala o Brasil desde o final de 2014.

Comente A pequenez de um gesto que deslustra a obra que a cidade aplaude

  1. francisco de assis da silva Disse:

    Eu concordo com essa afirmação
    Tenho certeza que Dilma vai volta.
    Temos que esta preparados para enfrentar todo tipo de ataque.os trabalhadores têm que vestir a camissa da resistência

Comente

Não publicamos ofensas pessoais. O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *