Cássio: polêmica do viaduto serviu para mostrar que obra tem verba federal

Senador lembra que repasses do Pacto Social entre Estado e municípios também são parcelados e estão atrasados

Rubens Nóbrega

O senador Cássio Cunha Lima disse neste domingo (12) que “é bem o estilo Ricardo Coutinho” toda a polêmica em torno dos R$ 17,5 milhões para o Viaduto do Geisel que o Ministério das Cidades retirou da conta do Estado.

O estorno, denunciado pelo próprio governador na sexta-feira (10), serviu de qualquer modo “para que as pessoas tomassem conhecimento que tem recursos do Governo Federal na obra, algo que nunca foi divulgado de forma ampla e clara”, observou Cássio.

Ele informou que em audiência semana passada no Ministério das Cidades solicitou, em nome da bancada paraibana no Senado, a liberação de recursos para o viaduto. “O ministro Bruno Araújo atendeu a uma solicitação do senador (Raimundo) Lira e minha. Claro que Zé Maranhão apoia também”, acrescentou.

Perguntado se teria feito alguma intervenção junto ao ministro no sentido que insinuam os governistas, ou seja, de boicote ao andamento das obras do viaduto por falta dos recursos federais, o senador reforça que ele, Lira e Maranhão têm atuado “de forma coesa na defesa dos interesses da Paraíba” e arremata: “Se intervenção houve foi para ajudar”.

Quanto à forma de liberação dos recursos, antecipada e integral ou por medição e em parcelas, Cássio argumenta que a praxe é a segunda hipótese. “Tanto que nos convênios do Pacto Social do próprio Governo do Estado, com valores significativamente menores, as liberações são parceladas”, acentua.

O senador denunciou, a propósito, que em inúmeros convênios do Pacto Social o Governo do Estado tem atrasado sistematicamente os repasses previstos. “Sem falar nas transferências de recursos de programas na saúde que o Estado não realiza há meses”, acrescentou.

Comente

Não publicamos ofensas pessoais. O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *