Ativista quer obrigar Twitter a entregar quem compartilhou vídeo do estupro

Estupro Change

No mesmo em dia que o Senado Federal decidiu aumentar de 12,8 para 16,8 anos a pena para estupro coletivo, também em Brasília a cidadã Marta Carvalho iniciou, através do portal Change.org (que acolhe e promove causas coletivas), um abaixo-assinado para obrigar o Twitter a divulgar publicamente e entregar à Polícia todos os perfis que compartilharam o vídeo do crime cometido contra uma adolescente por um bando no Rio de Janeiro.

Em menos de um dia, até o início da manhã desta quarta-feira (1º), já foram colhidas mais de 34 mil assinaturas das 35 mil propostas como meta inicialmente. A proponente do abaixo-assinado é ativista do movimento negro e

membro da organização Ossos do Ofício – Confraria das Artes. Leia a seguir o texto em que Marta Carvalho defende a exposição de quem compartilhou o vídeo, visando a uma possível criminalização dos que assim procederam.

“Nasci preta e mulher. Durante toda a história de minha vida, vi e vivi abusos e violências imensuráveis para a minha alma feminina. Estamos vivendo tempos de terror e culto ao ódio, ao machismo e todas as formas de desrespeitos e intolerâncias. Hoje todas nós vimos as consequências das injustiças, do não-cumprimento das leis e todos os tipos de violência direcionadas às mulheres, incitadas por uma sociedade que cria e fetichiza uma cultura do estupro – mídia, religião e políticos que corroboram com todos os incentivos e liberdades para que atos de extrema violência, como o estupro de uma mulher de 16 anos por mais de 30 homens no Rio de Janeiro.

Não podemos nos calar. Fiz este abaixo-assinado para exigir que todos os perfis de quem compartilhou o vídeo dessa barbaridade sejam expostos pelo Twitter, publicamente e como dado oficial para a Polícia Civil. Estes homens também são criminosos, assim como os bárbaros covardes que estupraram e publicaram o vídeo.

Não foi apenas estupro. Pedimos ainda que a Justiça tipifique o crime como Feminicídio Tentado (tentativa de assassinato). No Brasil, a cada 11 minutos uma mulher é estuprada. Infelizmente este foi só mais um caso.

Exigimos Justiça! #30ContraTodas”.

Comente

Não publicamos ofensas pessoais. O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *